ABAIXO TEXTOS - CRÍTICAS - ENSAIOS - CONTOS - ROTEIROS CURTOS - REFLEXÕES - FOTOS - DESENHOS - PINTURAS - NOTÍCIAS

Translate

sábado, 30 de abril de 2011

Três grandes artistas brasileiros



A LUZ E O CINEMA
Outro dia fui à cidade visitar dois amigos que são hoje deputados estaduais. Fiquei então no centro, pois queria ir ao lançamento de uma mostra de todos os filmes do Rogério Sganzerla. Cheguei uma hora antes e me deu tempo de ver duas exposições de dois grandes artistas plásticos: Rubens Gerchman e Glauco Rodrigues. Depois fui até a porta fumar um cigarro e olhei para o céu que estava negro. A tormenta estava para chegar. Para não morrer afogado, peguei um taxi e voltei para casa.

sexta-feira, 29 de abril de 2011

Celukino

Neste momento de reflexão sobre a vida eu me vi envolvido pela belíssima interpretação, recriação,transformação, transposição do pianista Glenn Gould a composição Siegfried de Richard Wagner, onde o talentoso músico esbanja o seu dominio total de todas as teclas... Criei uma imagem no meu celular e transformei tudo em um celukinopoesis intitulado


video

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Mais uma triste notícia

Morre filha do compositor Vinicius de Moraes.

Polícia investiga as causas da morte de Luciana de Moraes, de 55 anos. Corpo foi encontrado em calçada na frente de prédio onde morava no Rio de Janeiro.
Luciana era minha amiga e trabalhou no meu filme Bandalheira Infernal com suas irmãs Georgiana e Suzana Moraes.
Estou chocado com essa notícia e quero expressar aqui os meus mais profundos sentimentos a toda família.

quarta-feira, 27 de abril de 2011

NOTÍCIAS DO MUNDO

Tiradas dos melhores noticiários

Brasil Morte Prematura Neusinha Brizola, filha do nosso grande e inesquecível líder Leonel Brizola, morre aos 56 no Rio; corpo será enterrado no RS. Quero aqui registrar os meus sentimentos a toda família.

Brasil
Rio de Janeiro Homenagem A simplicidade de Manuel Bandeira faz 125 anos No último dia 19, o autor pernambucano Manuel Bandeira, um dos maiores poetas brasileiros, completaria 125 anos. Sua obra, repleta de lirismo, continua causando eterno "alumbramento" em muitos leitores.


Brasil Um Fim Triste 'Temo pelo futuro do PSDB', diz filho de André Franco Montoro Herdeiro de uma das 'dinastias' tucanas, Ricardo Montoro também considera deixar o PSDB

Japão Indústria Atômica Cerca de 2.000 japoneses foram às ruas de Tóquio neste domingo protestar contra o uso de energia nuclear. Os manifestantes pedem o fechamento da Central Nuclear de Hamaoka, em Nagoya, a 200 quilômetros da capital japonesa






terça-feira, 26 de abril de 2011

EXERCÍCIO DE MEMÓRIA

Assisti hoje um filme no youtube sobre o golpe militar de 1de abril de 1964 no Brasil que coleta documentos de imagens e sons que eu ainda não conhecia. O filme foi produzido pelo Canal Brasil e foi exibido sem muito estardalhaço pela emissora. O filme não traz novidade nenhuma cinematográfica, sua estética perde-se nos clichês de uma edição de imagem cheia de embalos sonoros, de climas convencionais de uma edição moderninha, usando e abusando de uma edição cheia de cortes que muitas vezes prejudica a informação histórica do que se quer fazer entender do conluio entre militares brasileiros e o governo dos Estados Unidos.
Mas o filme vale na medida em que apresenta uma pesquisa apurada dos fatos inter-relacionados de uma época onde o mundo todo estava de um lado em uma convulsão social de transformação e rebeldia e de outro sucumbindo aos interesses mesquinhos de uma classe de militar e de uma elite de reacionários vendidos aos mais sórdidos interesses capitalista nestes tristes momentos da recente história do nosso país. Assim “Um Dia Que Durou 21 Anos” merece ser visto e admirado por aqueles que querem conhecer um pouco mais do Brasil.

Parte 1
http://www.youtube.com/watch?v=NU7S4CwrwVA&feature=related

Parte 2
http://www.youtube.com/watch?v=1JZsNvnSloM&feature=related

Parte 3
http://www.youtube.com/watch?v=UObjtqKg0ps&feature=related

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Videos

























domingo, 24 de abril de 2011

Crônicas Casuais



Uma Deusa Cibernética

Ando sem paciência para as mídias brasileira e também do mundo, onde o que fala mais alto é o dinheiro. Em nome da sobrevivência e do poder vale tudo para a grande imprensa que se faz presente em todo o país. Esta não é uma imprensa livre que pratica o espaço democrático de opinião. Só os que estão alinhados as suas idéias e aos seus interesses podem se expressar e difundir aos borbotões suas sandices e suas notícias truncadas e assim, todos os dias, através da sistemática repetição dos fatos, pela ótica deles, influenciarem milhares de leitores – eleitores, formadores de opinião da classe média e das elites nacionais. Para o povão é oferecido 24 horas de falso divertimento, de falsa informação, de falsa cultura, ou seja o pão e o circo do império televisivo. Afirmei outro dia, nos meus 21 pensamentos imperfeitos, que não precisávamos de roliude, pois tínhamos a tevê Globo, que é a melhor entre as piores, que paradoxo, como a Record, SBT, Bandeirantes, etc., em relação à indústria mercadológica do cinema brasileiro, que quer a todo custo, com o apoio do dinheiro do povo, ser roliude e ganhar o Oscar. Se penso logo desisto. Penso também no impossível, ao contrário de todos que já estão subjugados. Penso que os meios de comunicação deveriam promover uma grande discussão nacional sobre a realidade brasileira em todos os seus aspectos, da gestão do governo ao desenvolvimento de uma política onde o homem, em todos os seus matizes sociais e culturais, seria a sua principal meta de conhecimento e transformação. Por que isso não é possível? Não é possível por que toda a mídia brasileira foi forjada, construída, impulsionada, pelos grandes interesses internacionais que comandaram com pulso de ferro o estado brasileiro da ditadura militar até os dias atuais. Para mudar essa realidade é preciso de muita coragem, discernimento do certo e do errado, conhecimento dos mecanismos que movem as máquinas da comunicação, desapego ao capital e ao que ele oferece, inteligência política e espírito revolucionário. Coisas difíceis de se encontrar nos dias de hoje. Assim, nesta escuridão medonha da mediocridade vergonhosa que cobre grande parte do mundo surge uma porta de luz, um respiradouro, um vacilo do sistema que perde o controle de uma poderosa máquina de transmissão de dados que rapidamente se transforma em textos e depois em imagem e som, sem domínio, sem patrão, sem censura, direta ao cérebro, através dos sentidos da criação e com infinito poder de memória, uma deusa a disposição de cada ser, apressando o tempo, diminuindo completamente as distâncias e descompromissada com qualquer poder constitucional. Essa deusa cibernética coloca o que eu penso, sem restrição, em todas as casas do planeta e foi ela a quem o grande cineasta inglês Kubrick chamou de Hall e que também o mestre Godard mostrou ser possível dar vida intelectual a uma poderosa máquina, muitos anos antes de 2001, no clima sombrio e desesperador do seu filme Alphaville. Pois ela hoje é uma realidade e é dela e nela, que a chama da liberdade de informação brilhará novamente, para todos, transformando definitivamente a vida para um mundo melhor. Mas para isso acontecer, não podemos nos intimidar, enfraquecer e aceitar o jogo imposto por determinados mercadores de sites pornográficos e outras anomalias que pululam as vísceras de tão portentosa deusa. Sou da teoria que onde houver um espaço para se mostrar coisas belas, de arte, de cultura é preciso ser mostrado, invadir com folhas e folhas de reflexões e provocações para a roda girar e ativar a nossa autocrítica. O primeiro passo é ser verdadeiro. Deixar o ego de lado e propor idéias, loucuras transformadoras, músicas e filmes revolucionários. Poesia para todos e discutir tudo aquilo que interessa ser discutido. Brigar com palavras por melhorias imediatas em todos os sentidos do homem. Não posso aceitar calado que tudo permaneça Como Dantes no Quartel de Abrantes e ainda participar escondido do que deve ser claro e transparente. Sob o domínio da deusa cibernética cada um tem o poder de transformar o que é singular em coisa comum. Neste mundo de redes uma só cabeça pode provocar uma revolução de idéias e conceitos. Uma só idéia pode modificar milhões de cabeças. Um só homem pode libertar toda uma civilização escravizada pela ganância de poucos. O que estamos então esperando? Em cada espaço cibernético de informação da rede vamos enchê-los de idéias novas e de tudo aquilo que seja transformador de conceitos e ações.

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Homenagem

Lênin: Um Gigante de seu tempo

A vida e obra de Vladimir Ilich Lênin são, por se próprias, alvo de admiração. Em um dia como hoje que comemoramos o seu 141º aniversário-natalício, os continuadores de suas ideias sentimos o orgulho de qualificá-las de imperecedouras, porque ele foi o fundador de uma nova época: impôs ao século 20 o selo infinito da era da revolução socialista ao quebrar o domínio dos exploradores na atrasada Rússia zarista e criar, com grande heroísmo e sacrifício, o primeiro estado de operários e camponeses na história, fato que precipitou o desenvolvimento acelerado dos movimentos revolucionários e libertadores em todo o planeta.
Num discurso por ocasião do natalício deste revolucionário exemplar, Fidel expressou:
"Lênin é desses casos humanos realmente excepcionais. A simples leitura de sua vida, de sua história e de sua obra, a análise mais objetiva da forma em que se desenvolveu seu pensamento e sua atividade ao longo de sua vida, fazem dele, ante os olhos de todos os humanos, um homem verdadeiramente — repito — excepcional.
Ninguém como ele, foi capaz de interpretar a profundidade e a essência e todo o valor da teoria marxista. Ninguém como ele, foi capaz de interpretar essa teoria e levá-la adiante até suas últimas consequências. Ninguém como ele, foi capaz de desenvolvê-la e enriquecê-la na forma em que ele o fez".
Entre as contribuições substanciais de Lênin ao marxismo e ao progresso da humanidade se destacam sua teoria do imperialismo como a última fase do desenvolvimento capitalista, a criação do Partido de novo tipo, a revolução socialista e a ditadura do proletariado, a relação indissolúvel entre a liberação nacional e a liberação social, os princípios da coexistência pacífica e a teoria sobre as vias de construção do socialismo.
Os inimigos também têm tentado demonizá-lo, mas ninguém poderá negar a dimensão histórica do pensamento e da ação de Vladimir Ilich lênin, um Gigante político de seu tempo.
Texto: Granma / Postado em 22/04/2011 ás 18:52

quinta-feira, 21 de abril de 2011

CINEMA

IMPERDÍVEL


Para aqueles que ainda não assistiram “Um Sorriso Por Favor, O Mundo Gráfico de Osvaldo Goeldi” vale a pena conferir o filme de 22 minutos de duração, em alta definição, dividido em duas partes.

Documentário sobre Osvaldo Goeldi, famoso gravador e artista carioca que tem a sua arte pontuada pelo cinema expressionista alemão. Goeldi, desenhista, gravador e professor. Era filho do naturalista suíço Emílio Augusto Goeldi. Residiu em Belém, enquanto seu pai organizava o Museu do Pará. Aos seis anos de idade, partiu para a Suiça com sua família. Regressa ao Brasil em 1919 e em 1921 expôs seus desenhos no Liceu de Artes e Ofícios. Em 1924 conhece Ricardo Bambi; artista plástico, com quem inicia a técnica da xilogravura. Em 1937 faz as ilustrações do livro "Cobra Norato" de Raul Bopp, onde utiliza pela primeira vez a cor. Foi professor de gravura na antiga Escola Nacional de Belas-Artes, Rio de Janeiro, até o seu falecimento em 1961. Premiado com o melhor filme e melhor montagem - Rogério Sganzerla - no Festival de Cinema de Brasília de 1982 – este filme foi convidado para o Festival de Cinema de Oberhausen, na Alemanha em 1983.

Sobre o filme: “ ...uma figura que nunca é vista na faixa de luz em que se mostram os outros, alguém que parece não pertencer quase a vida cotidiana, mas que é um recôncavo de ressonância para as vibrações do mundo. Jose Sette procurou captar essa luz difusa em que parecia estar mergulhado o homem Goeldi... um levantamento do repertório expressionista com seus jogos de luzes cenográficas, deslizando por eles as imagens das gravuras e dos desenhos... um clima fantástico criado a partir da retícula da televisão ou fazendo aparecer em cena um urubu.”

Wilson Coutinho – Jornal do Brasil – 1981.

Atenção: O filme ficará disponibilizado no Youtube durante duas semana.

Sorriso Parte 1 - http://www.youtube.com/watch?v=Y5_atQfo3QI

Sorriso Parte 2 - http://www.youtube.com/watch?v=-LOL335x_Ow


Amaxon trailer agora em alta definição. http://www.youtube.com/watch?v=GZhMahAX_Ao

Loucura Pouca é Bobagem

Assista esse filme - A guerra que você não vê.

http://www.youtube.com/watch?v=7V2MnHhU444&feature=player_embedded

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Notícias de Belo Horizonte MG

Pensamentos da Terra

Nada me fará voltar ao contrario andar de marcha ré dois passos à frente e três atrás
Precisamos é que salvem o cinema Viva a revolução cinematográfica da mediocridade!Precisamos novamente de um açodado Godard um desesperado Glauber loucos para fazerem história ser novamente eterno e sem fim Precisamos de seres mais nacionalistas xiitas - trabalhistas - comunistas - realistas A identidade é premissa de quem o mal é memória Feliz daquele que sabe sofrer Ei ê!!! Brasil ! Carnaval ... Vale tudo Telecotecotelecotecotecoteco batia o Laurindo o tamborim acompanhando o samba popular A cuíca lhe chamava chorava o divino lá no morro de mangueira mugindo a cuíca Noel pagou a comida de todos aqueles que se calaram sem chorar nem pensar ter desejo de não ser terra sem salvação nem solução no paraíso inverso das amazonas as escritas cuneiformes extremamente musical nasce o poeta tropical fala de acrópoles cidade de deus Rio de Janeiro meu amor juro por tudo que te ligo no meu celular ando louco pela célula vida O eterno retorno é tarefa de super-homem na memória do Brás Sou filho único peguei o trem latino na central voltei é meu destino três passos atrás e dois à frente é normal não há no mundo para mim ninguém que agüente bolero igual ao que te dediquei Tu sabes que sem você a vida não é nada para mim Caboclo do Rio Cabocla do Rio ê / ou Cabocla meu barco amarrou Cabocla tem compaixão deixa o barco sossegado me liberte desse amor Dona alegria correndo passou por mim sem me ver Foisembora meus canarinhos presentes de tantos Luís que o sertão vai virar mar do padre Vieira que faz o sol se levantar na sanfona bem tocada e com sentimento de santos faz com que o rio seco se mire d’água se fite no mar aos prantos Chega Severino! Não maltrate mais meu coraçãoos meus desejos todo mundo quer cheirar todo mundo quer dançar todo mundo quer comer A mulher é minha tira a mão segura a maldade Olha o tiro Covarde Quero ver quem vai tirar dessa história de amor que passando pelo povo na estação fez do momento incerto a revolução Quem vai tirar Se pra uns ela traz alegria e pra outros ela deixa a saudade Foguetes tudo é festa as bandas passam entre uma tristeza e outra Rojão Cantiga muito animada uma embolada Padre Antônio Vieira Sermão Canção Almirante Pelo mar engordou e ficou cheio de dinheiro uma embolada mineira é toada sertaneja e é tão brasileira que cantando a noite inteira não se vê o trem passar É tarde eu já vou indo país é grande demais Sertão que geme chorando e sofre cantando como as rodas do engenho lá vou tocando meu gado Guimarães Diadorim e o diabo cansado de viajar Ari nasceu em Ubá como as mangas saborosas tem saudades da índia que ninguém te conhece e nem sabe como tu veio aqui parar Ah! Meu Rio Grande façamos a revolução dançando o fandango é que tu me quedas louco rio impertinente do norte e do sul refletindo a lua e de olho na gente tu não sabes a responsabilidade velho rio nacional se misturas ao nordeste no velho Chico e no sul Minas e São Paulo comandaram a festa E vai ser um tal de mexe – mexe tão bonito de mulher vamos se veste que faz a morena chorar meu pedaço de ternura minha terra esquecida meu pouquinho de Brasil É como disse o gaucho no estremo norte a contemplar a imensidão da pátria: - Brasil! Eu venho te seguindo no pasto o rastro de suas botas é por isso que eu também gosto de tudo que o velho gosta.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Poesia



Meu Quarto


Esta luz de néon invade o cosmo
Vinda do fundo de um cabaré
Na minha alma um sonho
Um átomo em um corpo estranho
Tamanha luz incêndio não é
Estranha câmera
Entranha oca
Caminho róseo
Procura o coração
Insistentemente
Sem nenhum propósito
Rouba a escuridão
Um mar de lama
Insólito ar do meu pulmão
Desejo o sono no meu quarto
Declamo tristes trovas de paixão
No extraordinário correio da luz
No princípio o caminho da artéria
No fim o martírio da cruz

domingo, 17 de abril de 2011

EXERCÍCIO DE MEMÓRIA IV


As Sete Cidades


Estive no Piauí há 40 anos atrás vindo do Maranhão onde exibi o meu filme A Casa das Minas ao lado do meu inesquecível amigo Nunes Pereira e fiz a foto desta pedra redonda repleta de inscrições em alto relevo. Alguns falam que foi a chuva e outros que foram os deuses. "O pesquisador francês Jacques de Mahieu que esteve no Brasil em 1974 atribui as inscrições e pinturas rupestres aos vikings, pela semelhança com os caracteres rúnicos. O suíço Ludwig Schwennhagen considera os fenícios um dos primeiros povos a habitar Sete Cidades. Eles teriam atravessado o oceano em busca de novas rotas comerciais, devido à Guerra de Tróia e acabaram fazendo de Sete Cidades um grande palco para cerimônias religiosas. Tribos Tupinambás e Tabajaras relataram ao famoso jesuíta padre Antônio Vieira que os tupis chegaram ao norte do Brasil provenientes de um país que não existia mais. Schwennhagen considera este fato indicação de que a raça Tupi é remanescente do continente perdido de Atlântida. A idéia de Atlântida ganha reforço com a observação do ítalo-argentino Gabriele D'Annunzio que viu numa pedra encontrada em Ica, Peru, o desenho do continente americano, onde estão assinalados rotas oceânicas ligando Atlântida ao Delta do Parnaíba. O escritor Erik von Daniken, autor de"Eram os Deuses Astronautas?"acredita que forças não-naturais moldaram Sete Cidades, já que a ação da erosão é visivelmente diferente de cidade para cidade, havendo inclusive linhas retas de tinta vermelha dividindo rochas como num projeto de arquitetura".



Loucura Pouca é Bobagem


O que poderá acontecer em 2012...



sexta-feira, 15 de abril de 2011

EXERCÍCIO DE MEMÓRIA III

Belo Horizonte 1985 Fotos achadas da festa de lançamento do “Um Filme 100%Brazileiro” no antigo Cine Pathé, de alegres lembranças da Turma do ServeBem, amigos da minha adolescência. Logo após a exibição houve um encontro com todos os convidados em um bom Restaurante Italiano...






quinta-feira, 14 de abril de 2011

EXERCÍCIO DE MEMÓRIA II

LONDRES 70
Fotos de José Sette

Nothing Hill Gate – Paris
Zeus, o que é isso ? Essa merda, isso tudo, são palavras estrangeiras? Soluços impessoais, solos grotescos. Somente você Maria Gladys, revolucionária da espécie, sente o doente deleite estando em Lancaster entre os negros das colônias inglêsas. Peles negras e Mangroves com sobremesa de banana e sorvete com uma vela acesa na janela. Na noite escura um sarro em Noting Hill Gate. No Brasil, lá distante, o milagre financeiro e o sangue quente são derramados no arame farpado da ditadura militar. No corredor encurralado e estreito a tortuosa tortura. No labirinto da cidade de brinquedo que é Londres eu me perdi quando cheguei. No orgasmo do medo todos nós nos perdemos. Histórias sem vida, morte sem glória. Londres é o meu degredo e o meu segredo e agora o que faremos? Eu vou voltar para casa, retornar ao lar, ao abrigo atlântico, ao verdadeiro, ao Maracanã. Aqui não posso mais ficar, inglês do após guerra, coisa de otários. Sou um homem comum, um Zé ninguém. Cultivo os sentimentos humanos e só lá, na minha terra, posso me fazer entendido. Maria a Globo te espera. A palavra vingança se pronuncia depressa. Como passa o tempo e no ano que vem o dinheiro também. Ácido, droga de exportação, para nos dar prazer e mil brigas de morte. Neste festão cinéreo, os viajantes, os nossos amigos, burocratas do sistema, estigmatizados pela estupidez, não entram e nem passam pela porta. Mas também renunciar a toda retribuição do amor é um sacrifício que só o ódio está pronto a oferecer. Todos nós seremos vingados na hora e no tempo certo. Não se deixe incrédula diante da miséria insurgente. Aqui ela existe mascarada de nobreza pelos becos mais sombrios. Lá, com nosso povo sofrido, pelo menos dá samba. A violência ainda não subiu os morros da cidade e ninguém nos conhece, aqui é tal qual a Madri de Franco, o generalíssimo em guardas de quarteirão, todos me chamam pelo nome, e sabem onde me encontrar. Maria é hora de voltar, não resta mais dúvida. Pego hoje mesmo um avião..., e a prisão ? Você se esqueceu? Todos se esquecem muito fácil de suas histórias, não eu ! Tenho ainda que descascar muitas bananas até recuperar toda a minha dignidade. É preciso retirar as ferraduras que machucam as patas da besta para que ela paste novamente e se torne selvagem, bela e livre e todo o resto volte a normalidade. Brigadeiros, Almirantes, Generais retirem os cascos para o país voltar a sua normalidade democrática. As intrigas foram longe demais e destruímos a cada hora nossos tesouros ainda escondidos numa juventude valorosa aqui perdida nas mesas do rei Artur. Neste rico país tem um povo pobre mas ainda feliz, não deixem que isto se acabar. Não deixem o samba morrer. O rock só é bom para quem aqui viu que merda que é o rock. Deixem que nós todos possamos voltar à praia que tanto amamos, aos bares e rodas de chopes que nos mata de saudade dos amigos que ficaram. Que falta sinto de uma empadinha de galinha e de uma pata de caranguejo. Do arroz com feijão e do angu com quiabo e de uma franguinha mineira. Aqui não tem isso não. São as mulheres mais feias do planeta. Uma merda. Que palidez meu poeta esconde na face tua. Zeus me tira daqui!Chega de exploração. Pirataria moderna, testas de ferro desta ilha miserável. Nossos hospedeiros são nossos algozes e estão cansados de tamanha marcha e contra marcha desses latinos bárbaros. Eu to fora desta conjuntura falida de idéias e atos, aqui nada dá e ao contrario de lá onde tudo deu para quem nada fez e vive rico como um rei e ainda assim esmolamos o nosso exílio. Não vou mais ao cemitério visitar o túmulo de Marx, já que não posso mais ficar aqui, vou pra Paris, lá me sinto feliz. Adeus Maria! Zeus! O meu país perdidos em Lancaster rod.W3 fumando Number one. Guloise! Aqui vou eu. Londres março de 1970

quarta-feira, 13 de abril de 2011

EXERCÍCIO DE MEMÓRIA I

Arthur Pereira Novembro de 1985.


Sou convidado a fazer um documentário sobre este singular artesão. Arthur era um artista que expunha suas figuras, seus bichos, criando e talhando as suas peças em linhas curvas traçadas e esculpidas em um único tronco de madeira. Nesta estrada morro abaixo qual serpente vou indo a direita de Ouro Preto a esquerda da Ponte Nova a alguns metros de um posto de gasolina fincado no asfalto no Alto da Serra vou indo ao escondido vilarejo de ruas estreitas cobertas de árvores perfumadas de velhos casarões coloniais de uma pequena mata ainda virgem A cidade onde ele viveu e trabalhou está ainda perdida nas entranhas das minas das montanhas do ouro. Lavadeira artesã com água clara límpida corrente nos pés de escravos ainda habitantes Vou indo no rio choroso entre fontes e flores ternas por pedras e igrejas incrustadas de ouro Vou indo me molhar todo de prazer na cachoeira pré-histórica do Brumado. Cachoeira do Brumado, um misterioso vilarejo a alguns quilômetros de Ouro Preto no estado de Minas Gerais. Feito foi exibido o documentário “Artesão da Cachoeira” produzido com algums outros diretores de cinema mineiro (Paulo Augusto Gomes era um deles) para a recém inaugurada Rede Minas de Televisão. Estas fotos são o que resta de alguns momentos deste trabalho feito em vídeo que não sei se ainda existe, se persiste, ou se só está guardado nos arquivos da minha memória.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Um filme imperdível



"Vincere" (Marco Bellochio, 2009).


Sinopse: Há um segredo na vida de Benito Mussolini (Filippo Timi): uma mulher, Ida Dalser (Giovanna Mezzogiorno), e um filho, Benito Albino, que nasceu, foi reconhecido, e em seguida renegado. É uma página negra da história da Itália, ignorada na biografia oficial do Duce. Quando Ida conhece Mussolini em Milão, ele é um fervoroso socialista que pretende orientar as massas contra a Igreja e a monarquia. Ela acredita nele e em suas ideias, e vende tudo o que tem para financiar Il Popolo d`Italia, um jornal que Mussolini funda para ser o núcleo do futuro Partido Fascista. Quando a Primeira Guerra Mundial irrompe, ele se alista no Exército e desaparece. Ao reencontrá-lo algum tempo mais tarde casado com outra mulher, Ida exige seus direitos como verdadeira esposa e mãe de seu filho primogênito. Levada à força, fica trancada por mais de 11 anos em um asilo de loucos, onde é amarrada e torturada, e nunca mais verá seu filho. Mas Ida não desistirá de lutar.


Para assistir ao filme:



domingo, 10 de abril de 2011

NOTÍCIAS DO MUNDO

Tiradas dos melhores noticiários

Haití O Músico Presidente Michel Martelly, um cantor de música popular sem experiência política, terá o desafio de liderar durante os próximos cinco anos a reconstrução do país mais pobre do hemisfério ocidental.

Rio de Janeiro Ritual Trágico A tragédia de Realengo foi repetida a exaustão pela mídia brasileira com todos os detalhes possíveis de texto e imagem do louco atirador matando aquelas crianças algumas centenas de vezes.

Islândia Um Sonoro Não No referendo de 9 de Abril de 2011 o povo islandês deu uma magnífica prova de lucidez, consciência e civismo ao votar "Não" ao pagamento das dívidas dos banqueiros corruptos do Icesave. Trata-se de uma vitória memorável que ficará registrada na história econômica mundial.

Japão Indústria Atômica Cerca de 2.000 japoneses foram às ruas de Tóquio neste domingo protestar contra o uso de energia nuclear. Os manifestantes pedem o fechamento da Central Nuclear de Hamaoka, em Nagoya, a 200 quilômetros da capital japonesa.

Líbia 1001 Noites de Terror Muammar Gaddafi, fez uma aparição pública neste domingo em Trípoli, depois de uma reunião com uma delegação da UA (União Africana). Esta foi uma das suas primeiras aparições públicas fora da TV desde o começo do conflito com as forças aliadas. Nas imagens registradas de Gaddafi, ele acenava para simpatizantes com ares de vitorioso.

Peru União Latina-Americana Ollanta Humala, candidato nacionalista de esquerda, vencerá o primeiro turno das eleições presidenciais no Peru no domingo e a parlamentar de direita Keiko Fujimori ficará em segundo lugar com pequena vantagem sobre o terceiro colocado, mostraram três pesquisas de boca de urna após o fim do pleito.

sábado, 9 de abril de 2011

Pequena Homenagem a Godart

Três filmes de J.Luc Godart, o maior e mais revolucionário cineasta do meu tempo.


Jefferson Airplane filmado por Godart em NY 1968
video


FILM SOCIALISME JL. GODARD TRAILER



video


Trailer Godard-Stones 'Sympathy For The Devil'


video

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Brilha uma nova estrela

Nasceu hoje a minha netinha NINA. Pode haver algo mais precioso que isto. Ai está ela com seu orgulhoso pai Emiliano. Salve o dia 8 de abril de 2011!

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Atualidades


Desesperado

A massificação do lixo e o endeusamento do luxo pela mídia; a falta de uma identidade cultural forte e consolidada; a educação compartimentada, positivista, distanciada e repressora; o exorcismo orgiástico de todo mal, o fanatismo descontrolado dos puros, propagado pelas igrejas messiânicas, pelos homens bombas e assassinos desesperados que em nome de uma religião se espalham pelo mundo, tem sempre consequências incontroláveis como essa que aconteceu ontem na escola pública de Realengo no Rio de Janeiro. É preciso entender por completo o histórico desse jovem de 22 anos, que armado até os dentes, depois de exaustiva peregrinação pelas ondas da internet, onde aprendeu de tudo um pouco e que em nome de deus, de Jesus e dos puros, rouba a vida de 13 crianças inocentes. É preciso entender e discutir esse fato de maneira mais científica, trocar a gênese patológica pela ótica filosófica, sociológica, psicológica, cultural e política, e assim tentar tomar conhecimento social e pessoal desta brutal energia que impulsionou esse jovem a cometer tal morticínio. Caso contrário, estaremos impedidos de evitarmos que novos fatos, trágicos como esse do bairro de Realengo, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro, aconteçam.


Loucura Pouca é Bobagem
Muitas naves invadem os buracos negros que se multiplicam no sol.



Atualidade


O HORROR... Voltamos a Idade Média.

“...Mil corpos de homens e mulheres mortos durante o duplo cataclismo do dia 11 de março passado ainda estão apodrecendo nas poças d'água estagnadas ou entre os acúmulos de detritos ao redor da central nuclear de Fukushima. Ninguém os recolheu e ninguém os cremou, porque estão muito radioativos...” “As autoridades ainda não sabem o que fazer com quem, morto, incute o mesmo terror que, na Idade Média, provocavam os que tinham a peste...” (La Repubblica/IHU).




Dois Pensamentos Imperfeitos




1. O homem tem uma vida, o gato tem sete. O homem vive em média setenta anos, o urubu cem. O homem mata, o animal caça. O homem é civilizado, o animal selvagem. Só o homem é burro, besta, ignorante, boçal, cavalo, veado, mucura, estúpido, soberbo, tudo o que o animal não é e nem quer ser.

2. Ninguém deixa de ser o que é. O homem sábio refugia-se nos seus livros. O homem santo na caverna. O sábio prefere as letras. O santo o cravo. O sábio goza. O santo sofre. Trocando o cravo pelas letras, a caverna pelos livros, o gozo pelo sofrimento, o santo não fica sábio e nem o sábio vira santo.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Poesia


Diálogo de Dois Poetas Nas Montanhas de Minas
Ouro Preto junho de 1976

- O que me importa a câmera lenta da distância
- Por longe se apaga a curva e por perto é onde se encontra as paralelas
- Retilíneas
- Fugidias...
- Quem se importa?
- Pois cego me vejo entre as sombras de quem não quer ser encontrado...
- Pois sonhos não se afinam no que é real
- Afirma-se nos moldes abstratos infindos do nada
- Quem se importa?
- Enfim desminta tudo que sabes de mim
E de tudo um pouco assim desminta também
- Do tudo de quem não quer nada saber
- Do tudo de quem só pensa um pouco em ser
- Do tudo acabado...
- Um pouco mais na frente e muito mais na frente ainda
Pode se vê perdido e aflito com o que não se pode ver
- O poeta maldito e o outro aflito em se tornar a ser
- Quem não se encontra, devem se encontrar
Disse o mago francês L’Herbie
- Disse você, disse eu, disse alguém a minha porta
- Disse-me ninguém uma poesia
Nenhuma identidade
Nenhum ser
- Alienígena talvez
- Só vocês, talvez você
Possa dizer
O que me importa ser...

terça-feira, 5 de abril de 2011

Uma Nova Estrela

O TEMPO ESTÁ A NOSSO FAVOR Brilha Uma Nova Estrela Quero exercitar o texto, mas sinceramente não quero falar de política, muito menos a cultural. Não quero falar de religião, seja ela qual for, sendo ocidental ou oriental, é tudo a mesma coisa. Deus morreu nos braço de Nietsche. Não quero falar do cinema, do cinema nacional nem se fala. Não quero falar da cidade onde moro, nem da casa onde eu vivo; nem da minha cachorra cega, nem do gato que agora me faz companhia. Não quero falar dos discos voadores, muito menos das piratarias e das bandalheiras. Não quero falar do meu novo roteiro de cinema, penso que posso morrer a qualquer momento, por isso não quero falar da morte. Não quero falar da minha dívida com o sistema financeiro internacional, muito menos com fisco, nada posso pagar, pois nada tenho e assim espero pacientemente elas envelhecerem... Não quero falar, enquanto tenho saúde, da minha aposentadoria, do meu seguro e dos remédios que terei de comprar. Não quero ficar de bode com o insolúvel produto que esse curto espaço de tempo me reserva. Não quero falar de toda uma vida dedicada ao cinema, à cultura brasileira e dos parcos recursos que deles recebi. Não quero falar dos prêmios e elogios que obtive pelos filmes que faço sem os recursos de produção que eles mereciam. Não quero falar de todas as minhas mulheres, nunca as mereci, nunca pude dar nada de material a elas, pois nunca nada tive para dar. Não quero falar de um mundo que não é meu, ao qual não pertenço e que sempre é o mesmo, repetitivo, obsessivo, ganancioso, cruel, em toda a sua história. Os homens do mundo que eu conheço, em sua grande maioria, permanecem iguais. Não mudam nunca. Não quero falar de tantas coisas que dariam para encher um livro. Mas tem uma coisa que ainda não existe que eu quero falar. Quero falar da esperança que surge quando uma nova vida desponta no nosso horizonte possível trazendo em sua aurora existencial a alegria natural dos que estão chegando. Quero hoje falar da Nina, que já prepara seu espírito, seus ouvidos, seus sentidos, sua memória, seus olhinhos para ver e descobrir o novo mundo que lhe será apresentado. Quero falar da alegria que é ter a primeira neta, ver nascer e crescer mais uma criança, uma nova mulher na minha família. Quero dizer da minha satisfação de poder assistir, ajudar, cuidar, amar, informar, mostrar, experimentar todos os paladares, todos os prazeres, que esse mundo idiota pode ainda oferecer a quem está chegando. Quero viver o suficiente para ouvir a sua voz, as primeiras palavras, as primeiras frases, a construção verbal de um pensamento, a primeira gargalhada, a primeira lágrima, o primeiro sorriso. Quero poder passear de mão dada com ela pelas areias do Arpoador onde me criei e chupar com ela o seu primeiro picolé de chocolate. Dar a primeira mordida divisória. Mergulhar nas ondas e afastar o medo. Mostrar que com seu avô ela pode se sentir protegida. E só depois de sentir que os seus olhinhos brilharão a me ver e que seu amor é tão grande quanto o meu, só assim poderei ir em paz para minha aventura espiritual, sabendo que aqui está tudo bem com aqueles seres que são para nós os melhores, pois nasceram da combinação cármico-cósmica de todas as estrelas do nosso universo particular. Sarava!

domingo, 3 de abril de 2011

Jogo de Memória

É sempre bom lembrar do grande político mineiro Tancredo Neves.
Foto de cena do filme Liberdade - Tancredo Neves; Ronaldo Brandão; José Sette; Paulo Laborne.

Texto do Jornalista Beto de Almeida

Foi um ultraje, um abuso, um desrespeito total ao povo brasileiro o fato de Obama ter usado o território brasileiro, e mais precisamente as dependências do Palácio do Planalto, durante audiência com a Presidenta Dilma, para dar as ordens de ataque com mísseis à Líbia! Não merece, em absoluto, o Prêmio Nobel da Paz, mas o da guerra! Mas, o episódio, mais um para a coleção de atitudes desrespeitosas com o povo brasileiro que dirigentes dos EUA praticaram - a mais grave de todas o Golpe de 1964, organizado a partir da Casa Branca que o pop star não mencionou - nos faz reviver um outro episódio. Eleito pelo Colégio Eleitoral, Tancredo Neves fez um giro por diversos países para comunicar a nova fase da política no Brasil a partir de 1985. O primeiro visitado foi os Estados Unidos. Recebido por Ronald Reagan, que na época sustentava a criminosa agressão contra a Nicarágua por meio de sabotagens e de apoio a grupos terroristas chamados de “contras”, Tancredo ouve com paciência o presidente estadunidense discorrer sobre América Latina e, praticamente, solicitar ou assediar o apoio brasileiro contra a Nicarágua Sandinista, por ele chamada de “expansão comunista-terrorista na região”. Mineirice e soberania Reagan só mais tarde foi compreender qual é a manha dos mineiros. Aparentemente, pelo comportamento de Tancredo na reunião privada, Reagan foi iludido acreditando que o mineiro estaria de acordo com os absurdos intervencionistas e criminosos que os EUA estavam lançando contra a Nicarágua. E por desdobramento, desrespeitando o povo brasileiro também convocando o Brasil para uma guerra contra um país irmão, a Pátria de Sandino. Pois Tancredo deixou a Casa Branca sem dizer palavra e dirigiu-se ao Congresso. Aí sim estava a caixa de ressonância de que precisava. Ao ser sabatinado por senadores e deputados, em meio a indagações protocolares, genéricas e as imbecilizantes de sempre, sem que ninguém lhe perguntasse, Tancredo declara em alto e bom som para surpresa de todos, inclusive de sua assessoria que sequer fora avisada: “o Brasil não vai admitir uma intervenção militar estrangeira na Nicarágua Sandinista!” O embaixador norte-americano no Brasil, um afrodescendente, ficou pálido com o que ouviu, segundo relato do experimentado jornalista José Augusto Ribeiro, assessor de imprensa de Tancredo, que também só naquele instante tomava conhecimento da postura do presidente brasileiro recém-eleito em defesa da autodeterminação dos povos, e, concretamente, em defesa do direito da Nicarágua de escolher seu modelo político soberanamente, reconhecendo seu sagrado exercício de independência. Fidel e Tancredo Imediatamente a declaração corajosa e soberana de Tancredo Neves, no Congresso dos EUA, minutos após ter se reunido com o presidente Ronald Reagan que lhe fez a proposta indecente, ecoava mundo afora pelas agências de notícias. Minutos depois um despacho das agências noticiosas chegava às mãos de Fidel Castro, que estava à tribuna num Congresso Internacional Contra o Pagamento da Dívida Externa, em Havana, quando também havia acabado de advertir para o risco de uma intervenção militar norte-americana na Nicarágua. Fidel pára seu discurso, lê o telegrama com as declarações de Tancredo Neves e fulmina da tribuna: “Invadir a Nicarágua é relativamente fácil, quero ver invadir o Brasil de Tancredo Neves!” Sabe-se que quando Obama foi interrompido por seu secretário à mesa de reunião com Dilma, ele deu a ordem de ataque que pode levar à morte milhares de civis líbios e destruir tudo o que foi construído pelo processo de transformações da Líbia. E, ato contínuo, teria comunicado sua decisão à Presidenta Dilma, como a querer apoio ou adesão ao ataque. Dilma, segundo os relatos, teria recusado e declarado “o Brasil é um país pacífico e não concordamos que a ação militar vá produzir os efeitos esperados”. Não aderiu. Mas não declarou publicamente. Desrespeito ao povo brasileiro Teria sido importante que Dilma, a exemplo do também mineiro Tancredo Neves, ecoasse esta declaração em cadeia de TV e rádio, enquanto Obama estivesse em território brasileiro. Era uma maneira de reprovar publicamente a abusiva atitude de Obama de usar o território brasileiro, em visita oficial, para determinar um ataque mortal contra um país com o qual o Brasil tem relações normais, incluindo a participação de empresas, técnicos e produtos no processo de transformação que levou a Líbia a ter o mais elevado Índice de Desenvolvimento Humano da África. Aliás, envolto em profundo simbolismo e em sintonia histórica com as declarações de Tancredo Neves está a recusa de Lula a comparecer ao almoço com Obama. Talvez esteja no gesto de Lula o que verdadeiramente Dilma e o Itamaraty queriam ou deviam dizer. Sabemos que os primeiros mísseis lançados contra Trípoli destruíram um hospital e mataram 48 pessoas, inclusive crianças. As agências de notícias controladas pela indústria bélica e pelo poder petroleiro com sanguinária voracidade pelo óleo negro líbio continuam a mentir, agora dizendo que nenhum alvo civil foi atingido. Isto não está autorizado pela Resolução 1973 da ONU. É terrorismo pura e simplesmente! Por isso Brasil, Rússia, China, Índia e Alemanha abstiveram-se, provavelmente sabendo das extrapolações criminosas - já preparadas há tempo - dos termos da Resolução para apoiar a contra-revolução. O precedente é gravíssimo e pode ser aplicado até mesmo contra o próprio Brasil ou qualquer país que tenha robustas riquezas energéticas. Com a quantidade de agentes de serviços de informação que atuam no Brasil disfarçados de ongueiros, conforme denunciam autoridades brasileiras, é o caso de atentar para o perigoso precedente aberto pela decisão da ONU. Tancredo mandou fechar base militar dos EUA no Brasil Num dia em que até ministros de estado brasileiros foram bruscamente revistados por seguranças de Obama, o exemplo da sabedoria de Tancredo recobra atualidade e vitalidade. Foi também Tancredo que, como primeiro-ministro, mandou fechar uma Base Militar que os EUA tinham no arquipélago de Fernando Noronha. Porém, Tancredo não fez declarações, apenas consultou as forças armadas no último dia do prazo para a renovação do contrato para a permanência da instalação militar estadunidense, e, mandou publicar o decreto determinando a retirada do dispositivo estrangeiro no Diário Oficial. Com isso retirou o espaço e tempo de manobra dos vassalos sempre postos a defender os interesses da metrópole contra nosso próprio povo. Só no dia seguinte a opinião pública veio a saber do episódio, também relatado por José Augusto Ribeiro. Tancredo foi insistentemente indagado pelos jornalistas se iria normalizar as relações com Cuba, um modo de conflitá-lo com setores militares. Tancredo respondia com gargalhadas bem humoradas: “Mandei fechar uma base militar dos EUA e ninguém nunca me perguntou nada sobre isto. Mas, agora, só querem saber de Cuba, Cuba, Cuba”. Se bem já não estamos mais na etapa em que um chanceler brasileiro chegava a agachar-se para retirar os sapatos em obediência a um guardinha de alfândega nos EUA, há sinais confusos sobre a necessária e imperativa continuidade, com mais consolidação e audácia, da política externa elaborada e praticada durante o governo Lula. Seja porque todas as sanções ou ações militares delas decorrentes que os EUA arrancam no grito do Conselho de Segurança da ONU jamais deixaram de ser, de verdade, nada menos que agressões armadas contra povos e governos que têm posição de independência em relação à Casa Branca. As mais recentes destas sanções resultaram em destruição e morte na Yugoslávia, no Iraque, no Panamá, no Afeganistão e, agora, recém começada, na Líbia, prevendo-se a demolição de toda uma infra-estrutura que levou a Líbia a superar o atrasadíssimo regime monárquico e passar do tribalismo à construção de uma experiência socialista, ainda longe de ser alcançada. Demolição do estado Líbio Mas, é emblemático o fato de que os primeiros bombardeios lançados de porta-aviões dos EUA sobre Trípoli tenham demolido um hospital público, uma das conquistas deste processo de transformações, que também inclui um avançado sistema público de educação, canais de irrigação, indústria petroleira estatal, alvos que, demolidos, podem fazer o país recuar no tempo socio-economico. Aliás, está claro porque se levanta a bandeira da monarquia hoje por lá, com o apoio do Pentágono e da máquina macabra da OTAN. Com toda certeza, o Brasil tem uma experiência histórica que nos anima a dizer que tem faltado mais protagonismo ao Itamaraty na crise Líbia, como indicamos em artigo anterior. Vale lembrar, por exemplo, que Vargas, intimado pelos EUA, recusou-se a colocar o Brasil na Guerra da Coréia. Em Angola, o Brasil apoiou o governo de Agostinho Neto, do MPLA, sendo o primeiro país a reconhecer a Independência da ex-colônia portuguesa. A agressão à Líbia não passa de uma guerra de rapina do petróleo e numa ação para intimidar todo o processo de libertação política do mundo árabe, sempre cuidando de proteger os interesses dos EUA na região, como se vê na hipocrisia contida no apoio descarado de Hillary Clinton à invasão militar da Arábia Saudita ao Bahrein. O Brasil construiu uma política externa que lhe rendeu prestígio e autoridade mundial. Não pode retroceder e aparecer associado ou até mesmo passivo diante de monstruosas maquinações midiáticas e bélicas para sustentar uma política neocolonialista, como agora neste criminoso ataque contra a Líbia. Quando a Presidenta Dilma iniciou sua campanha eleitoral por Minas Gerais, exatamente com um gesto emblemático de depositar flores no túmulo de Tancredo Neves, saudamos a escolha da iniciativa. Com a esperança de que muitos dos ensinamentos deixados pelo estadista mineiro ajudem a iluminá-la nas horas mais difíceis. E a pronunciar o que o gesto de Lula afirmou. Beto de Almeida é Jornalista, Membro da Junta Diretiva da Telesur. 21 de Março de 2011

sábado, 2 de abril de 2011

`Poesia


SÓ CONSIGO PENSAR EM FILMAR

Há dias não consigo escrever uma linha
Ando de saco cheio com tudo em volta
Comigo mesmo
Com meus projetos
Na dúvida de criar
Continuar criando
Desenvolvendo idéias
Alimentando a paixão
De fazer cinema
Contar a minha história
Por almas livres
De outros artistas
Sempre foi assim
Mudar o mundo ao ver
Experimentar a nova visão
Naquilo que já foi visto
Tudo que é belo foi escrito e pintado
Dizia Tolstoi a respeito da arte
Pela arte me sinto agora assim
Feio como alguém que está nascendo
Buscando na escrita a beleza
Achando a forma correta
Compondo com adorno e arte as partes
A nova estética de se apresentar ao mundo
Assim estou tal qual o barro a modelar
Inconsistente e preguiçoso
Inerte a espera da mão do mestre
Com quem passei meus últimos dias
Na solidão do meu barraco
Escuta irmão!
É sobre ele que quero te dizer
Nas poucas linhas de um poema
Toda a emoção de conhecê-lo
Mais é melhor filmar o enredo
Já que tudo foi escrito sem medo
Você sabe quem?
James que é João é também ninguém
Quebranto do passado ao futuro
Personagem do presente
Epifania de luz envolvente
Simonia de solvente
Gnômon de jardim
Cinema pra mim é assim
Poesia sem fim
Luzes sem camarim
Última morada da arte
Embate de titãs
Uma das sete partes
De uma mente sã
E outros seis desastres
Comandados por satã
Assim estou
Sem escrever uma linha
Sequer...

Março 2011

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Poesia


SANTO INQUÉRITO



Liberdade!
Deixa-me levantar é demanda
O meu quarto está trancado lá fora
Se meu santo me ajudar nesta hora
Ponho tudo no lugar sem demora
Vou-me embora
Inocente de enigmas
Na luta de todas as lidas
Estigma de todos os loucos
Poeta de todos
Ricos e pobres
Que este país não é livre
Dos escrotos sem memória
Na contra mão do sofrimento
Presos no cipoal da história
Se é que ainda se vive
Na miséria e no tormento
Em um país como este
Só me resta ir pra fora
Sem demora!

RJ dezembro 1969